REDELAB Saúde

Análises Clínicas | Ask REDELAB

Cuidado com este snack que se come em todo o lado — pode ser um risco para a saúde

Nesta altura do ano não há como escapar. Em todas as esplanadas há aperitivos para acompanhar uma bebida refrescante.

Artigo da Drª Magda Roma, publicado na 
Ver notícia no site NiT

Com a chegada dos dias mais quentes, as esplanadas passam a ser os lugares de eleição para todos os encontros de amigos ou momentos de descontração após um dia de trabalho. Ao livre, entre conversas, não pode faltar uma bebida refrescante acompanhada por um snack. Uns preferem tremoços, outros não resistem aos amendoins, e há outro que muitos apreciam sobretudo pelo seu sabor salgado: as sementes de abóbora secas, também chamadas pevides.

À primeira vista, pode ser consideradas a opção mais saudável. Têm antioxidantes, vitaminas e minerais na sua composição, porém, dependendo da forma como são preparadas, podem ser uma verdadeira bomba calórica.

A versão ao natural, em que as sementes são retiradas da abóbora e secas no forno, por exemplo, tem bastantes benefícios. “São uma fonte de gordura insaturada e o seu teor em fibra e proteína ajuda a manter a saciedade ao longo do dia”, refere a nutricionista Maria Gama. As pevides são ainda uma boa opção para incluir em dietas de emagrecimento ou para atletas, uma vez que, ao contrário de outras opções do mesmo grupo alimentar, são pouco calóricas.

“As gorduras existentes nestas sementes são, na sua maioria, ácidos gordos essenciais, como o oleico e o linolénico, compostos percursores da vitamina A e vitamina E. Devido ao seu poder antioxidante, ambas contribuem para a proteção celular.”

Se tem tendência para desenvolver anemia, acrescentar estas pevides a saladas e outros pratos pode ser benéfico. “As sementes de abóbora são dos alimentos mais ricos em ferro e são aconselhadas a pessoas com défice de ferro”, explica a nutricionista. O seu consumo é também aconselhado para quem queira reduzir o colesterol sanguíneo.

Os riscos associados ao consumo regular

Nem tudo é maravilhoso. Estas sementes são desaconselhadas a quem sofre de patologias inflamatórias no intestino, como colite ulcerosa ou doença de Crohn. Em pessoas totalmente saudáveis, durante os primeiros dias de consumo, e até o organismo se habituar, “podem causar flatulência e desconforto abdominal”.

A questão da mastigação também é importante, sobretudo para quem tem “um aparelho digestivo mais sensível”. “Como se tratam de alimentos pontiagudos deve sempre haver um maior cuidado, porque podem criar hipersensibilidade num estômago inflamado ou num intestino facilmente irritável. O truque é mastigar muito bem e com cuidado”, aconselha a nutricionista Magda Roma.

No caso dos mais novos, uma vez que a mastigação nem sempre é realizada convenientemente, é importante vigiar o consumo. “Nestas situações, bem como adultos com a consciência que não mastigam bem os alimentos, o melhor é consumir as sementes trituradas ou então em pasta de barrar”, aconselha a especialista em nutrição.

As versões salgadas que encontramos nos supermercados e cafés não são uma boa opção. “Além de provocarem desidratação, o sal em excesso está relacionado com quadros de hipertensão arterial entre outras situações clínicas graves, como o AVC”, sublinha Magda Roma. A especialista em nutrição recomenda sempre o consumo de “sementes e frutos secos ao natural”, ou seja, sem sal, mel ou outros aditivos que tornam estes alimentos mais calóricos e, consequentemente, inimigos da deita.

“Apesar de hoje em dia as sementes fazerem parte da rotina alimentar de muitas pessoas, é importante não esquecer que uma alimentação saudável deve ser equilibrada e variada. Portanto, exagerar no consumo de alimentos simplesmente porque estão na moda não é um bom princípio”, acrescenta a também autora do blogue “Põe-te na Linha”.

De modo a manter uma dieta nutritiva e equilibrada, as sementes são apenas um dos muitos alimentos que deve incluir regularmente nas suas refeições. A batata, por exemplo, é útil para quem pretende eliminar o açúcar do sangue de forma natural e saudável. Já o alho francês pode ser um importante aliado para os que desejam preservar uma aparência mais jovem e cuidada.

Caso o problema seja as digestões difíceis, aposte nas ervilhas. Se for o sono que lhe causa dores de cabeça, os kiwis e as cerejas talvez ajudem. O pêssego, por seu lado, é um importante cúmplice na luta contra a prisão de ventre.

Carregue na galeria para descobrir algumas receitas que lhe permitem usufruir dos benefícios nutricionais da abóbora de forma saborosa.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Add Comment *

Name *

Email *

Website

Follow by Email
Instagram
WhatsApp